Incidência e Mortalidade

Para se poderem tomar decisões sobre políticas de saúde, em particular no que diz respeito ao enorme problema que é o cancro, é necessário saber o que se passa no país ou numa determinada zona geográfica.

Os parâmetros mais frequentes, que aparecem quase sempre nas notícias quando se fala de cancro, são a “Incidência” e a “Mortalidade”.

Os números sobre mortalidade indicam o número de mortes por cancro num ano, ou mortes por um tipo específico de cancro.


Nos últimos dados sobre Portugal sabe-se:

Incidência

Incidência quer dizer o número de novos doentes que, nesse ano, foram diagnosticados com um cancro ou com um tipo particular de cancro.


Nos últimos dados conhecidos sobre Portugal referentes ao ano de 2006:

Mortalidade

  • Que o cancro na traqueia, brônquios e pulmão foi  o que mais matou no ano em análise: 3.210 óbitos.

  • O cancro do cólon foi a segunda causa de morte por cancro: 2.401 óbitos.

 

  • O cancro do estômago foi a terceira causa de morte por cancro: 2.267 óbitos.

Existem organismos nacionais e internacionais que fazem a análise do número de casos de cancro.

Um desses organismos chama-se GLOBOCAN.

  • Foram diagnosticados 39.356 casos.
     

  • 371,83 novos casos por ano para cada 100.000 habitantes.
     

  • No sexo masculino, a taxa de incidência foi de 428,71 por 100 mil habitantes.
     

  • No sexo feminino, a taxa de incidência foi de 318,48 por 100 mil habitantes.

  • O cancro da próstata é o que apresenta  a maior taxa de incidência anual por 100 mil habitantes: 103,77.

  • O cancro da mama apresenta uma taxa de 48,66 por 100 mil habitantes.
     

  • O cancro do cólon 40,15 por 100 mil habitantes.

  • Em ambos os sexos,  o cancro do cólon foi o segundo com maior incidência.