A radioterapia exige que se possuam instrumentos de avaliação das áreas que, de facto, estão a ser irradiadas.

Apesar de existirem diversos sistemas de imobilização para cada uma das diferentes patologias - apoios de mama, pulmão, etc. - ou mesmo soluções personalizadas (exemplo: colchões de vácuo, máscaras), a verdade é que o corpo possui movimentos internos (respiração, movimentos intestinais, preenchimento da bexiga, etc.) que torna a irradiação menos precisa.

Os modernos aparelhos de radioterapia possuem diferentes instrumentos que permitem avaliar o correto posicionamento do corpo e ajustá-lo antes do tratamento. Podem ser pouco sofisticados e limitar-se à avaliação óssea ou, sabendo que os ossos podem estar adequadamente posicionados, mas no seu interior os volumes a irradiar estarem ligeiramente deslocados, possuir instrumentos mais avançados que permitem visualizar o “interior” do corpo, de um modo semelhante a uma TC. É o caso do chamado CBCT (“cone beam CT”) na qual se realiza uma aquisição das imagens do interior do corpo e, posteriormente, se procede ao necessário ajustamento.

Esta técnica com recurso a CBCT e a

três Marcadores de ouro colocados na próstata constitui uma das modalidades de radioterapia de intensidade modulada efetuada com RapidArc™.​

​​De entre os sistemas de localização do volume alvo destaca-se a possibilidade de colocar, no interior do órgão a irradiar, os chamados “marcadores fiduciais” que permitem, por parte do aparelho, uma correção automática das áreas a irradiar (esta técnica com recurso a CBCT e a três marcadores de ouro colocados na próstata constitui uma das modalidades de radioterapia de intensidade modulada efetuada com RapidArc™, realizada no HESE ).

Pode-se dizer que, sem o contributo fundamental da radioterapia de imagem guiada (IGRT), não será possível realizar uma radioterapia de qualidade e muito menos uma radioterapia de intensidade modulada (IMRT), pois, neste tipo de irradiação, como as lâminas se movimentam, não é possível assegurar uma correta irradiação do alvo e proteção dos tecidos normais,  se o volume-alvo  não está localizado com precisão.

Radioterapia Guiada por Imagem (IGRT)​